[Especial] A Evolução de Pokémon - 3ª Geração

Por Mario Toledo em 21 de setembro de 2013

Pokémon Gold e Pokémon Silver foram feitos com o propósito de serem os últimos jogos da franquia Pocket Monsters a serem lançados. Porém, a quantidade exorbitante de cópias vendidas mostrou a necessidade de criar novas versões da série, aproveitando para impulsionar as vendas do novo portátil, o Game Boy Advance.
Desta forma, Pokémon Ruby e Pokémon Saphire foram lançados no Japão exatamente 3 anos depois de Pokémon Gold e Silver serem lançados, dando início a terceira geração e aproveitando todo o potencial do novo console para criar coisas que os fãs jamais tinham visto antes.

Pequenos detalhes e grandes mudanças

Pokémon Ruby e Pokémon Saphire trouxeram diversos novos detalhes que, apesar de pequenos, proporcionaram grandes mudanças para a série, além de torna-los únicos em vários aspectos.
Pela primeira vez, o jogador não é original da cidade inicial (Litleroot Town), estando de mudança com sua mãe, conforme mostrado no início do jogo (aliás, é aqui que vemos, pela primeira vez, um automóvel no jogo). Também é visto, pela primeira vez, ambos os pais do treinador - neste caso, seu pai é um dos líderes de ginásio da região, devendo ser enfrentado em algum momento da jornada.

A escolha dos iniciais acontece de uma forma não tradicional, onde, ao escutar os gritos de socorro do Professor Birch (que estava sendo perseguido por uma Poochyena), o jogador deve escolher entre Torchic, Treeko ou Mudkip na bolsa do Professor para ajudá-lo.

A escolha do Pokémon inicial era feita para ajudar Birch, que estava em apuros.

O rival do jogador também não fica claro desde o começo. O treinador de sexo oposto aparece desde o início do jogo, com um nome automático que não pode ser alterado pelo jogador (Brendam para o menino, May para a menina). Apesar deste escolher um Pokémon do tipo vantajoso ao seu, e acabar batalhando com você algumas vezes, em nenhum momento fica explícito que isto é para te sobressair, e muitas vezes, ele ou ela acaba mais te ajudando do que atrapalhando.
Em contrapartida, um garoto chamado Wally inicia sua jornada após capturar seu Ralts, e possui características mais próprias de um rival (apesar de ser extremamente fácil derrota-lo). Wally se apresenta como o último obstáculo do jogador antes de enfrentar a Elite Four, tal qual como acontece na quarta geração.

Pegadas na areia, reflexo na água ou o respingar ao passar por cima de poças se mostraram pequenos detalhes que garantiram o apreço pelo jogo. Além disto, algumas coisas passaram a ter animações completas, como a abertura e fechamento de portas, o remexer da grama ao passar por cima ou a utilização de um HM.

Andar sobre poças e ver o seu reflexo na água tornam o o jogo ainda mais belo.

O Pokémon Center e o Pokémon Mart passaram a ser identificados por cores específicas em seus telhados (vermelho e azul, respectivamente), além de ganhar algumas regalias, tal qual como portas automáticas e escadas rolantes.

O telado do Pokémon Center, assim como o do Pokémon Mart, ganharam cores específicas.

Diversas novas Poké Balls surgiram ao longo do caminho. Entre elas, a Premier Ball (uma Poké Ball comemorativa), a Repet Ball (para capturar mais facilmente espécies de Pokémon que já foram capturados), a Timer Ball (para capturar mais facilmente em batalhas extensas), a Nest Ball (para capturar mais facilmente Pokémon de nível baixo), a Net Ball (para capturar mais facilmente Pokémon do tipo Water ou Bug), a Dive Ball (para capturar mais facilmente Pokémon subaquáticos) e a Luxury Ball (para tornar mais amigável o Pokémon).

O HM 08 surgiu com o golpe Dive, permitindo que o Pokémon e seu treinador conseguissem acessar áreas debaixo d'água, acessando, eventualmente, cavernas secretas ou a cidade de Sootopolis.

O Dive surgiu na terceira geração, e permitia acessar ambientes subaquáticos.

Os Running Shoes também permitiram que o treinador viajasse por áreas mais extensas em maior velocidade, se propagando também para os demais jogos. Além disto, nos jogos da terceira geração, foi possível escolher entre dois tipos de bicicletas: a Acro Bike permitiu ao jogador atravessar áreas estreitas (e realizar acrobacias), enquanto a Match Bike permitiu subir morros deslizantes (e andar mais rápido).

As novas bicicletas foram essenciais para o progresso do jogador.

Alguns Pokémon especiais surgiram no meio do caminho. Castform, por exemplo, é um Pokémon que muda de forma de acordo com o tempo que está no mapa. Tropius, apesar de odiado por muitos devido a seu status baixo, é o único Pokémon do tipo Grass / Flying, e ainda pode usar o golpe Fly.

Gráficos em 16 bits

A evolução gráfica é muito aparente em Pokémon Ruby / Saphire, e tudo graças ao potencial do Game Boy Advance, capaz de exibir gráficos em 16 bits (o equivalente a mais de 65 mil cores). Desta forma, todas as sprites de Pokémon foram reformuladas, com cores completas e novas animações, incluindo a do treinador, que ganhou novas sprites ao correr.

Os Pokémon também ganharam novas sprites tanto dentro quanto fora da batalha, onde, neste último, poderiam ser vistos com sprites muito mais próximas do real, diferente das sprites singulares que apresentavam quando vistos pelo menu do jogo. Desta forma, o jogador se surpreende ao ver Machokes carregando caixas, ou Pokémon fora de Poké Balls nas casas das demais cidades.

As sprites dos Pokémon fora das batalhas se tornaram próprias de cada monstrinho.

Os ítens também apresentaram sprites próprias. Pela primeira vez, o jogador poderia diferenciar visualmente uma Poké Ball de uma Great Ball ou Ultra Ball, tal qual como uma Potion de uma Super Potion ou Hyper Potion.

As condições temporais também podiam ser vistas visualmente no mapa, podendo haver chuvas ou tempestades de areia. Não só isto, como alguns lugares possuíam características próprias, como as cinzas de um vulcão, próximo a cidade de Fallarbor Town.

Até mesmo as condições climáticas foram representadas visualmente.

A evolução não se deu somente na estética, mas também na usabilidade. Pela primeira vez, o computador se tornou muito mais prático, com uma interface muito mais amigável, permitindo ao jogador realizar transações de Pokémon com maior facilidade.

Mar a vista: a região de Hoenn

A região de Hoenn é a mais polêmica de todas, e tudo porque grande parte do seu território é composta por água, havendo a necessidade do jogador utilizar o Surf quase que em tempo integral, passando horas e horas escapando de Pokémon aquáticos (não é a toa que, na maioria das vezes, Latias ou Latios são encontrados no mar).

Hoenn possui grande parte de seu terreno composta por água.

Além disto, a região comporta uma grande variedade de ambientes fechados - lugares que não precisam ser visitados para o progresso do jogo. Por muitas vezes, caso o jogador se aventure por novas rotas, é possível chegar a lugares escondidos ou secretos, havendo a necessidade de várias horas de jogo para explorar o mapa por completo.

Uma reformulação no metagame

Pegue todo o conhecimento que você tinha sobre competitividade na série e jogue fora, pois a terceira geração mudou todos os aspectos competitivos do jogo, criando praticamente um novo metagame.

Para começar, os IV's passaram a totalizar de 15 para 31 pontos, e o sexo do Pokémon não era mais determinado pelo status de Attack, permitindo ter um Pokémon fêmea com uma base de IV de Attack no máximo.
Além disto, os EV's vieram a tona para os treinadores gastarem seu tempo effortando seus Pokémon, que podiam ganhar até 3 pontos em um dos status básicos, podendo totalizar 510 pontos.

As Abilites foram mostradas como habilidades especiais de cada Pokémon, permitindo, por exemplo, que Pokémon do tipo Flying não fosse atingido por golpes do tipo Ground, ou que certos tipos de Pokémon absorvessem determinados ataques e recuperassem HP.
As Natures também foram introduzidas na terceira geração, reduzindo 10% de um determinado status para adicionar a outro - por exemplo, Pokémon do tipo Modest tem uma redução de 10% em seu Attack para aumentar 10% em seu Special Attack.

As Abilities e Natures mudaram muito o metagame do jogo.

As weather conditions surgiram na segunda geração para criar adversidades baseadas no clima atual do mapa, que influenciava dentro da partida - porém, como os guardiões da terceira geração possuem habilidades para invocar novas condições temporais, times com Solar Beam, por exemplo, incluíram Groudon automaticamente. Também foi introduzido um novo tipo de condição temporal, o Hail, onde começava a nevar, causando dano em Pokémon que não fosse do tipo Ice.

Golpes como Sunny Day ajudavam Pokémon com Solar Beam, por exemplo.

As Double Battles surgiram nesta geração, e se mostraram extremamente competitivas, onde o jogador utilizava dois Pokémon simultaneamente para batalhar com outros dois. Alguns golpes se mostraram extremamente eficazes enquanto batalhando em dupla, tal qual como Surft e Earthquake, que podem atingir todos os Pokémon de uma única vez, enquanto golpes assistenciais como Helping Hand surgiram apenas para Double Battles, aumentando o poder de ataque de outro Pokémon. As Double Battles se mostraram tão eficientes que foram propagadas nas demais gerações, e são muito bem vistas nos campeonatos oficiais.

As Double Battles foram uma grande revolução no jogo.

Sustentabilidade utilizando Berries

Diferente da segunda geração, onde o jogador poderia colher Berries diariamente, na terceira geração, o jogador tinha a opção de replanta-las, e era obrigado a fazer isto caso quisesse ter mais Berries. Algumas frutas eram tão raras que, caso o jogador não as replantasse imediatamente, corria o risco de nunca mais ve-las dentro do jogo.

Pegue as Berries a vontade, mas não esqueça de replanta-las.

As Berries se mostraram extremamente eficazes dentro do jogo, podendo ser seguradas por um Pokémon. A Sitrus Berry é a preferida dos treinadores, onde, na terceira geração, enquanto estiver sendo segurada, pode curar automaticamente 30 do HP  de um Pokémon quando o mesmo ficar com a vida baixa (nas gerações sucessoras, a Sitrus passou a recuperar 25% do HP total).

Contests e Ribbons

Sabemos que o foco principal de Pokémon se baseia  em criar e treinar seu Pokémon, devendo enfrentar diversas batalhas no caminho - mas isto pode enjoar em algum momento. Desta forma, os Contests surgiram para dar uma variedade na jogatina padrão, criando concursos em que o jogador poderia se inscrever e competir com outros 3 adversários.

Os Contests estão presentes em 4 cidades diferentes, divididos em 5 tipos (Beauty, Cool, Cute, Smart e Tough), através de 4 ranks distintos (Normal, Super, Hyper e Master).
Dentro de cada Contest Center, o jogador poderia utilizar os blenders para criar seus Poké-blocks - vitaminas que aumentam status alternativos, próprios para os concursos. Ao iniciar o blender, o jogador deveria arremessar um dos frutos e jogar um rápido mini-game, determinando a excelência da criação do Poké-block.

Utilize o blender para criar seus Poké-blocks.

A primeira etapa do concurso consistia em vestir seu Pokémon com acessórios, a fim de exibi-lo para a platéia e ganhar apelo popular. Já na segunda etapa, cada participante utilizava um golpe por turno, se exibindo para os jurados a fim de ganhar pontos. Cada golpe tinha seu efeito próprio dentro dos concursos, podendo ser de aspecto positivo ou negativo.
No fim de cada concurso, o ganhador era eleito pela soma de todos os pontos, permitindo subir de rank para o determinado tipo de concurso, além de ganhar uma Ribbon.

Os Conquests tiravam um pouco o foco do jogo em batalhas e raising.

As Ribbons não são nada além de pequenos achievements que surgiram no jogo, onde o Pokémon podia ganhar uma fita baseado em pequenos ganhos, tal qual como maximizar seu effort.

PokéNav, o seu amigo de todas as horas

Na época em que Pokémon Ruby / Saphire foi lançado, os dispositivos pessoais ganharam uma tremenda força no Japão. Isso influenciou na criação do PokéNav, um dispositivo pessoal com diversas funcionalidades, tal qual como o PokéGear na segunda geração.
Através do PokéNav, o jogador podia analizar o mapa da região, além de ver as condições de cada Pokémon, conferir os treinadores já vencidos (e eventualmente, saber quando eles queriam uma revanche), ou conferir as Ribbons adquiridas.

Secret Base, o seu cantinho reservado

Uma das coisas mais divertidas na terceira geração (pelo menos para alguns) é a criação de sua Secret Base. Utilizando o TM 43 (com Secret Power), o jogador podia criar uma base em árvores especiais, cavernas e arbustos, acessando pequenos layouts diferentes em cada  local do jogo. Cada layout possui diversidades, podendo ter corredores estreitos, ambientes mais largos, buracos no chão ou arbustos atrapalhando.

As Secret Bases podiam ser redecoradas com ítens que o jogador ganhava ou comprava.

Dentro de uma Secret Base, o jogador poderia redecorá-la com acessórios, móveis, pelúcias e outros tipos de ítens ganhos dentro do jogo, ou comprados especialmente no 5º andar da Lilycove Departament Store. Alguns ítens requeriam completar quests especiais, tal qual como as da Trick House, onde, ao atravessá-la pela oitava vez, o jogador ganhava uma pequena tenda.

Conectividade

O uso do GameBoy Advance implicou também no avanço da conectividade do jogo, podendo utilizar o cabo link do aparelho para conectar até 4 jogadores simultaneamente. O único porém das versões Ruby e Saphire são a não compatibilidade com o adaptador wireless, que só pode ser utilizado nas versões FireRed e LeafGreen.

Além disto, a terceira  geração não permitia uma troca direta com os jogos das gerações anteriores - desta forma, FireRed e LeafGreen foram de extrema importância caso o jogador quisesse completar sua PokéDex.

Acessando a Battle Tower, o jogador poderia participar das Tag Battles, batalhas sequenciais contra NPC's, podendo se unir a outro NPC ou a um jogador utilizando o cabo link.

Pokémon Emerald

Assim como de costume, um terceiro jogo da terceira geração foi lançado quase 1 ano após Ruby / Saphire serem lançados, com o  nome de Pokémon Emerald, trazendo Rayquaza como o guardião principal.
As mudanças do jogo incluem uma revisão gráfica, mudando algumas cores e estilo dos letreiros com o nome do lugar que esta sendo visitado. Além disto, os Pokémon tinham sprites animadas dentro das batalhas, tal qual como visto em Pokémon Crystal.

Alguns detalhes da roupa do herói tiveram suas cores alteradas em Pokémon Emerald.

A Battle Frontier foi apresentada aqui, substituindo a Battle Tower de Ruby / Saphire. Nela, o jogador podia batalhar de diversas formas com NPC's aleatórios, equilibrando o nível de seus Pokémon sem ganhar experiência ou dinheiro - ao invés disto, o jogador ganhava Battle Points, podendo serem gastos para a troca de alguns ítens.

Pokémon Emerald acabou recebendo algumas críticas negativas por não ter tantas novidades que garantissem sua compra, uma vez que grande parte de suas novidades estavam na alteração da história, e de alguns detalhes simples, como a mudança do campeão da região para o Wallace, antigo líder do oitavo ginásio.

A terceira geração no Game Cube

Tal qual a chegada do Game Boy Advance como um novo portátil, o Game Cube se instalou como o novo console de mesa da Nintendo, trazendo novos jogos de Pokémon para si.
O Pokémon Colosseum foi lançado em Novembro de 2003 no Japão, trazendo a mesma jogatina dos demais Pokémon Stadium, porém, com gráficos renovados e uma nova lista de Pokémon presentes, incluindo a terceira geração.

O modo RPG de Pokémon Colosseum era bizarro.

O mais impressionante de Pokémon Colosseum é que ele incluia um modo RPG que simulava o convencional do portátil, porém, com uma grande quantidade de bugs. Isto deu abertura para o lançamento de Pokémon XD: Gales of Darkness, talvez o jogo mais bizarro já lançado de Pokémon. Nele, o jogador controla Michael, um jovem treinador da região de Orre, o qual possui um Eevee e tem a missão de enfrentar uma organização criminosa chamada Cipher. O jogo é curto, e possui pouquíssimos Pokémon, além de um Dark Lugia nunca incluso na lista oficial.

Seu poder de luta é mais de 8000!!

A Pokémon Box era um jogo a parte, lançado em Maio de 2003 no Japão, e permitia que o jogador armazenasse até 1500 Pokémon de Ruby, Saphire ou Emerald dentro do jogo, salvando-os em seu Memory Card. Tal recurso foi aprimorado nas demais gerações, cada qual com sua particularidade, chegando recentemente na armazenagem de Pokémon na nuvem.

Guarde seus Pokémon no Memory Card do Game Cube, e não corra riscos de perde-los. Ou será que não?

Mas... E o remake?

A primeira geração viu seu remake em FireRed e LeafGreen, enquanto a segunda geração ganhou seu remake com Heart Gold e Soul Silver. Na teoria, a terceira geração deveria ganhar um remake, mas até agora, nada foi confirmado.

Junichi Masuda acaba recebendo diversas mensagens de fãs perguntando sobre o remake de Ruby / Saphire, e o mesmo nunca confirma se isto acontecerá, mesmo com tantos fanarts espalhados pela internet. Porém, nunca se sabe se conseguiremos visitar Hoenn em Pokémon X / Y, e isto é um sonho que consome grande parte dos fãs da terceira geração.

Não perca na próxima semana um artigo especial sobre a 4ª geração.