Por que devemos lembrar do Cubone no dia das mães?

Por Fabrício em 10 de maio de 2015
De todas as histórias e personagens da Nintendo, o Pokémon Cubone é quem mais tem relação ao dia das mães. Conforme a Game Freak lançava os games da franquia, um pouco mais da criatura era revelada pela Pokedex, até que foi explicado o porquê de seu casco na cabeça, e também o motivo do apelido “Pokémon Solitário”.


Ainda nos primeiros jogos, nas versões Red & Blue, a Nintendo o descreveu apenas como “devido por nunca remover seu casco, ninguém nunca viu o real rosto deste Pokémon”. Nas versões seguintes, a informação ganhou mais detalhes e dá o motivo da morte da mãe dele. “Ele perdeu sua mãe depois de seu nascimento. Por isso, usa o casco dela e nunca mostra seu rosto”, consta na versão Crystal.

Até aí a história da pobre criatura terrestre já é triste, mas na 3ª geração da franquia se torna ainda mais densa. Nos games Ruby & Sapphire é dito que “por conta do desejo de ver sua mãe novamente, Cubone chora em noites de lua cheia. As manchas de seu casco são as lágrimas de seu sofrimento”. Tadinho do pobre Cubone.

No anime o Cubone nunca foi descrito dessa forma, mas mesmo lá ele tem a fama de ser solitário e evitar situações sociais. Aparentemente, o motivo disso é o trauma da morte de sua mãe. Apenas quando evolui, para Marowak, o amadurecimento o torna mais forte para lidar com os problemas pessoais.

Talvez a Game Freak tenha colocado essa história como forma de representar todos aqueles que perderam suas mães. Abaixo é possível ver um episódio de Pokémon Origins que mostra exatamente esse drama do Cubone e o encontro com o espírito de seu ente mais querido.